O COLECIONADOR  
     
 

O Museu de Arte Sacra de São Paulo, exibe até 31 de maio a exposição A Alma do Colecionador, com

curadoria de Isabella Blanco e Jorge Brandão. Com o objetivo de oferecer espaço para as mais

variadas coleções - de livros raros a antiguidades natalinas, de bicicletas clássicas a cachimbos e

relógios, xícaras e esculturas de cristal, entre muitos outros -, a mostra se move pelos valores,

sentimentos, curiosidades, lembranças, sensos de beleza e estética de 30 colecionadores, aqui

levados à condição de protagonistas. Os ingleses, talvez o povo que mais cultiva o colecionismo,

costumam dizer que “beauty is in the eye of the beholder” (“a beleza está nos olhos de quem vê”). O

que pode parecer banal para alguém, pode não ser para outrem. Um objeto em formato de coruja,

por exemplo, pode não representar absolutamente nada para a maioria das pessoas, mas, ao

mesmo tempo, pode ser uma obsessão para outros. Neste contexto, A Alma do Colecionador

apresenta uma vasta gama de itens de colecionismo, sejam eles históricos, artísticos, lúdicos,

curiosos ou sui-generis. A proposta curatorial busca “penetrar, ainda que sorrateiramente, na alma dos

convidados e incentiva-los a exibir suas peças, ressaltando suas curiosidades e nos envolvendo neste

universo infindo, materializado em forma de coleção.”, comenta Jorge Brandão. Citando algumas peças

que o público encontrará na mostra, temos uma parte do conjunto de esculturas de figuras negras

do chef Olivier Anquier, todas escolhidas e adquiridas por ele, dentro do Brasil; objetos em formato

de elefante, da atriz Etty Fraser; relógios da extensa coleção de José Oswaldo de Paula Santos,

sendo alguns da marca francesa Lalique, outros oriundos da Itália, Alemanha, Espanha e Áustria;

Fábio Arruda apresenta um recorte de suas peças em forma de hipopótamo; algumas xícaras raras

da coleção de Cláudia Matarazzo; entre diversas outras.

 

 Colecionadores: Agnelo Pacheco, Alice Carta, Alysson Camacho, Anne Colesanti, Antonio Henrique

da Cunha Bueno, Ary Casagrande, Bernardo Marim Neto, Cláudia Beraldo, Cláudia Matarazzo, Dimas

de Melo Pimenta, Edna Pontes Matosinho, Estela Marquesi, Etty Fraser, Fábio Arruda, Gabriel

Lacerda Toianelli, Guilherme Camargo, João Paulo Toledo, José Francisco Queiroz, José Márcio Molfi,

José Oswaldo de Paula Santos, Lais Helena Machado, Lola Melnick, Marcos Pessarollo, Mari Marino,

Miguel Giannini, Nicolau Amaral, Olivier Anquier, Reinaldo Jacob, Renato Maluf Volpe e Sidnei Paulo

Diana

 

O projeto expográfico é composto de baús – um por coleção -, visando nos remeter às arcas de

tesouros e outras preciosidades, os quais irão acondicionar as peças selecionadas por cada

colecionador, que, por sua vez, levarão apenas uma parte de seus acervos. No catálogo da mostra,

depoimentos pessoais narram a história de cada conjunto. Desta forma, ao contemplar toda gama

de coleções e suas origens, o Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS-SP cumpre a missão de

incentivar e divulgar o ato de colecionar. “E, quem sabe, chegaremos a compreender, um instante que

seja, a alma do colecionador e o prazer que esta prática encerra.”, nas palavra de Isabella Blanco